3 de nov de 2009

Cidade dos "paros"

Já comentei em outro post sobre a politização do povo argentino e de sua capacidade de lutar pelos seus direitos e assim conquistar muitas coisas importantes. O que tem passado é que os "paros" (paralisações) e cortes de ruas e avenidas são tantos que para não passar desapercebidos fazem coisas absurdas. A mídia ama tudo isso, afinal para eles tudo vira notícia. Hoje mesmo vi pela manhã na televisão que havia paro de professores e de hospitais, nenhuma novidade até aí (sim, infelizmente são coisas comuns por aqui...). O problema começou quando um grupo de mais ou menos 1000 manifestantes cortaram ontem o trânsito em algumas quadras da Av. 9 de julho (uma das principais avenidas da cidade e uma das mais largas do mundo!) por causa da briga entre o governo e o campo.

Foto: Clarín
 Podem imaginar o caos que se transformou o já caótico trânsito de fim de tarde nessa cidade enorme! Não satisfeitos em incomodar a população por algumas horas decidiram acampar no meio da avenida, sem hora pra sair. Juro que quase fui me juntar a eles, afinal seria uma maneira incrível de viver a "cultura" argentina de perto. Pela manhã quando escrevi este post o lio seguia e ainda segue agora, depois de mais de 30h que os manifestantes estão acampados por lá ( última atualização - levantaram o acampamento!)


Minha pergunta é: como uma cidade do tamanho de Buenos Aires permite uma coisa dessa sem tomar nenhuma atitude? Uma pergunta para se pensar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário